CRIAÇÃO DE CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES: EPISTEMOLOGIA, TIPOLOGIA, FACILITADORES E BARREIRAS

Victor Fraile Sordi, Cristiano José Castro de Almeida Cunha, Marina Keiko Nakayama

Resumo


A partir de uma revisão sistemática da literatura, este artigo buscou caracterizar a produção acadêmica mais difundida nos últimos 15 anos sobre a criação do conhecimento nas organizações, apresentando as correntes epistemológicas, os conceitos utilizados, as diferentes tipologias adotadas e as principais barreiras e facilitadores citados nas publicações. Os resultados sugerem que a criação de conhecimento pode ser concebida como um processo colaborativo de combinação entre conhecimentos externos e internos às organizações, e que há diferentes formas de se criar diferentes tipos de conhecimentos dependendo do contexto organizacional. Apesar de indicar que a teoria da criação de conhecimento de Nonaka e Takeuchi (1996) tornou-se paradigmática, o estudo aponta uma série de outras abordagens, sugerindo que novas perspectivas devem ser utilizadas para o avanço da compreensão do fenômeno.

Palavras-chave


Gestão do Conhecimento; Inovação; Aprendizagem Organizacional; Cultura Organizacional; Epistemologia do Conhecimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.2236-417X.2017v7n2.28851

Locations of visitors to this page

Licença Creative Commons
Os originais publicados na Perspectivas em Gestão & Conhecimento estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons 3.0 Brasil (obrigatoriedade de atribuição de créditos/vedado uso comercial/vedada criação de obras derivadas/permitida citação referenciada).
Perspectivas em Gestão & Conhecimento - PG&C, Cidade de João Pessoa, Estado da Paraíba, Brasil.
ISSN: 2236-417X (formato eletrônico).