Imagem para capa

TANINOS DA CASCA DO CAJUEIRO: ATIVIDADE ANTIMICROBIANA

Andréia Vieira Pereira, Tatiane Kelly Barbosa de Azevêdo, Severino Silvano dos Santos Higino, Gregório Mateus Santana, Luiz Fernando Annunziata Trevisan, Sérgio Santos de Azevedo, Mayra Vieira Pereira, Andréia Fernanda Ramos de Paula

Resumo


Os taninos são tóxico a muitos organismos inferiores causadores de doenças, como a bactéria Staphylococcus aureus que é o mais freqüente agente etiológico da mastite bovina. Este trabalho teve como objetivo determinar a atividade antimicrobiana in vitro das substâncias tânicas isoladas do caule do cajueiro (Anacardium occidentale Linn.) sobre linhagens de Staphylococcus aureus de origem bovina. A atividade antimicrobiana in vitro da solução tânica extraída do caule do cajueiro foi avaliada, pela determinação da concentração mínima inibitória. Para determinação da concentração inibitória mínima (CIM) o tanino foram dissolvido de forma seriada em água destilada em concentrações inicial de 500 µg/mL. Os ensaios foram realizados em triplicata. O tanino inibiu o crescimento de Staphylococcus aureus formando halos que variaram de 10 a 17 mm sendo a CIM de 31,25 µg/mL. Os resultados mostram uma significante atividade bactericida e bacteriostática de tais linhagens, constituindo um meio medicinal alternativo com atividade anti-infectiva sobre S. aureus.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25066/agrotec.v36i1.23002

Revista Agropecuária Técnica
ISSN impresso 0100-7467
ISSN online 2525-8990


Este periódico está indexado em:




Índice h (Google Scholar)=14


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional