Perfil Clínico epidemiológico da Babesiose canina em município da Baixada Fluminense no Rio de Janeiro.

Fabiola da Cruz Nunes, Clarice Freire Lopes, Keli Cristina Domingues

Resumo


A babesiose canina é uma doença causada pelo protozoário do gênero Babesia, o qual é transmitido ao cão através da picada de carrapatos ixodídeos, principalmente os da espécie Rhipicephalus sanguineus. A doença ocorre tipicamente duas semanas após o carrapato se alimentar e se caracteriza por febre, anemia, icterícia e hemoglobinúria. O diagnóstico laboratorial se baseia na observação dos parasitas no interior dos eritrócitos, porém isso nem sempre é possível devido a freqüente baixa pararasitemia. O objetivo desse estudo foi identificar as alterações clínicas e hematológicas mais freqüentes nos cães com babesiose e comparar com os achados encontrados nos cães suspeitos de terem a doença. Os sinais e sintomas mais freqüentemente observados tanto nos animais positivos quanto nos suspeitos foram febre, mucosas hipocorada, petéquias e trombocitopenia. Após analise criteriosa considerou-se o grupo de cães suspeitos como sendo positivos para babesiose, optando-se por tratar todos os animais, os quais responderam ao tratamento com melhora do quadro clínico apresentado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25066/agrotec.v30i2.3443

Revista Agropecuária Técnica
ISSN impresso 0100-7467
ISSN online 2525-8990


Este periódico está indexado em:




Índice h (Google Scholar)=14


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional