RESISTÊNCIA MICROBIANA AOS FÁRMACOS NO TRATAMENTO DE MASTITES: ALTERNATIVAS NATURAIS PARA ROMPER ESSA BARREIRA

Luiz Feranando Annunziata Trevisan, Andréia Vieira Pereira, Ana Carolina Lyra Albuquerque, Maria do Socorro Vieira Pereira, Jozinete Vieira Pereira, Onaldo Guedes Rodrigues, Ednaldo Queiroga de Lima, Marcia Almeida de Melo

Resumo


Staphylococcus aureus produz um amplo espectro de doenças desde lesões superficiais até severas infecções sistêmicas, no homem e outros animais. Devido a sua grande versatilidade no desenvolvimento de resistência a vários antibióticos, que contribui para a sobrevivência em ambientes hospitalares, a medicina alternativa vem buscando meios naturais no tratamento de infecções a longo prazo causado por essas bactérias. A utilização de plantas pela medicina popular e a divulgação dos êxitos conduziram a exploração científica, proporcionando um conhecimento químico-farmacológico de milhares de plantas. Tendo em vista o auto índice de resistência dos Staphylococcus spp, e a necessidade do desenvolvimento de novas terapias eficazes para rebanhos acometidos por mastite, este trabalho teve como objetivo demonstrar o efeito dos extratos hidroalcoólicos de Arruda e Alecrim como uma alternativa eficaz no controle a este importante agente. Foi realizada a determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM) dos extratos sobre 20 linhagens bacterianas pelo método de difusão em meio sólido. Os resultados demonstram que todas as amostras são sensíveis aos extratos até a diluição 1:4 apresentando halos de inibição de 11 a 25 e 11 a 26mm respectivamente e que a inibição do crescimento apresentou-se homogênea, de acordo com o grau de concentração do extrato da planta. Os resultados deste estudo são promissores e mostram a importância de se avaliar meios alternativos no combate a infecções e ao desenvolvimento de resistência a drogas em S. aureus.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25066/agrotec.v30i1.3736

Revista Agropecuária Técnica
ISSN impresso 0100-7467
ISSN online 2525-8990


Este periódico está indexado em:




Índice h (Google Scholar)=14


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional