Crescimento e acúmulo de biomassa em milho irrigado com água salina

Elânia Soares de Sena, Valdécio dos Santos Rodrigues, Geocleber Gomes de Sousa, Jonnathan Richeds da Silva Sales, Kelly Nascimento Leite, Emanuel D´Araújo Ribeiro de Ceita

Resumo


A salinidade da água é um dos maiores problemas que limita o crescimento e a produção agrícola nas regiões de climas árido e semiárido do Nordeste. O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito do estresse salino da água de irrigação no crescimento inicial e no acúmulo de biomassa do milho. O experimento foi conduzido em campo no período de agosto a setembro de 2017, na fazenda experimental de Piroás da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. O experimento foi conduzido no delineamento em blocos casualizados e quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos de cinco condutividade elétrica da água de irrigação (1,0; 2,0; 3,0; 4,0 e 5,0 dSm-1). Aos 45 dias após a semeadura foram analisadas a altura de plantas, diâmetro do caule, número de folhas, área foliar, comprimento da raiz, massa seca da parte aérea, da raiz e total. Todas as variáveis foram reduzidas linearmente com o aumento da salinidade na água de irrigação. O aumento do teor salino das águas de irrigação foi prejudicial ao crescimento em altura, diâmetro do caule, número de folhas, área foliar e comprimento da radicular, também afetou negativamente o acúmulo da matéria seca da parte aérea, da raiz e total das plantas de milho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25066/agrotec.v39i2.38466

Revista Agropecuária Técnica
ISSN impresso 0100-7467
ISSN online 2525-8990


Este periódico está indexado em:




Índice h (Google Scholar)=14


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional