FISIOLOGIA PÓS-COLHEITA DE LIMÃO BILIMBI (Averrhoa bilimbi L.), ARMAZENADO SOB ATMOSFERA MODIFICADA EM CONDIÇÕES AMBIENTAIS

Wellington Souto Ribeiro, Helder Horacio de Lucena, Edmilson Igor Bernardo Almeida, José Alves Barbosa, Walter Esfraim Pereira

Resumo


O trabalho foi conduzido no Laboratório de Biologia e Tecnologia Pós-Colheita no Centro de Ciências Agrárias de Areia, UFPB - PB. Os frutos de limão-de-Caiena (Averrhoa bilimbi L.) de plantações nativas da região do Brejo Paraibano. Depois de selecionados e sanitizados por 3 minutos em água clorada contendo 100mg. L-1 de cloro ativos, e secos ao ar, foram recobertos com suspensão de féculas de mandioca nas concentrações de 3 e 5% e filmes de PVC de baixa densidade, e armazenados em condições ambiente. Os frutos foram avaliados em suas características a cada 3 dias durante 15 dias. O delineamento estatístico foi inteiramente casualizado em esquema fatorial com três repetições e três unidades experimentais. Os dados foram avaliados através de análise de variância e quando significativos foram efetuadas as análise de regressão considerando os coeficientes de determinação superior a 0,60. Os maiores rendimento em polpa foram apresentados com os frutos recobertos com filmes plásticos, já a acidez, o teor de ácido ascórbico, sólidos solúveis totais foram superiores nos frutos tratados com fécula a 5%.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25066/agrotec.v31i2.3967

Revista Agropecuária Técnica
ISSN impresso 0100-7467
ISSN online 2525-8990


Este periódico está indexado em:




Índice h (Google Scholar)=14


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional