INFLUÊNCIA DE TEMPERATURA E SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE MANDACARU (CEREUS JAMACARU DC.)

Juliano Ricardo Fabricante, Francisco T.C. Bezerra, Venia C. Souza, Selma S. Feitosa, Leonaldo A. Andrade, Edna U. Alves

Resumo


O Cereus jamacaru DC., é uma espécie nativa que representa grande valor para a conservação e biodiversidade do bioma caatinga. O objetivo deste trabalho foi analisar a resposta germinativa sob condições controladas de temperaturas e tipos de substratos de sementes de Cereus jamacaru DC. O trabalho foi desenvolvido no Laboratório de Ecologia Vegetal do Centro de Ciências Agrárias, da Universidade Federal da Paraíba, Areia-PB. As sementes foram colhidas de frutos maduros em plantas nativas no município de Gurinhém, PB. Após beneficiamento foram submetidas aos testes de germinação, em germinadores tipo BOD sob temperaturas constantes de 15°C, 20ºC, 25°C, e 35°C, e, em diferentes disposições no papel Germitest®, sendo: rolo de papel, entre papel e sobre papel e nos substratos areia e vermiculita previamente autoclavados e umedecidos distribuídos em gerbox. Foi utilizado esquema fatorial 4x5, (temperaturas x tipos de substratos) em delineamento inteiramente casualizado, resultando em 20 tratamentos, com 4 repetições de 25 sementes por tratamento. A germinação de sementes de Cereus jamacaru destacou-se nos substratos rolo de papel, sobre papel e entre papel nas temperaturas de 20 ºC e 25ºC. Os menores valores de germinação, comprimento e massa seca de plântulas, deu-se em temperaturas de 35ºC nos substratos areia e vermiculita.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25066/agrotec.v31i2.4371

Revista Agropecuária Técnica
ISSN impresso 0100-7467
ISSN online 2525-8990


Este periódico está indexado em:




Índice h (Google Scholar)=14


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional