A moral (neo) pentecostal e a ética empreendedora: sobre a Teologia da Prosperidade e o impulso para o trabalho

Manuela Lowenthal Ferreira

Resumo


A pesquisa se detém em analisar como aspectos religiosos orientam a vida de adeptos da Teologia da Prosperidade em Igrejas pentecostais e neopentecostais, o modo como interpretam e cumprem as prescrições religiosas e o seu direcionamento para o trabalho e o sucesso, finda por adquirir o estatuto de uma prática disciplinadora, com acentuada relevância nas mais variadas esferas da vida, afetando a forma como os indivíduos lidam com a prática profissional, e mais especificamente o empreendedorismo, contribuindo também para a percepção de superação e resistência às condições financeiras estabelecidas. Ou seja, busca-se compreender como as Igrejas pentecostais e neopentecostais apresentam uma visão própria sobre trabalho, focando no contexto atual e no contexto em que essa Teologia surgiu e se expandiu no Brasil, coincidindo com o período de intensificação de políticas neoliberais. Para tanto, a pesquisa se voltou para a Igreja Universal do Reino de Deus e a Igreja Bola de Neve da cidade de Campinas-SP, ambas praticantes da Teologia da Prosperidade e ambas igrejas que proporcionam um determinado impulso ao empreendedorismo e ao trabalho autônomo.

Palavras-chave


Pentecostalismo; Empreendedorismo; Universal do Reino de Deus; Igreja Bola de Neve

Texto completo:

PDF




ISSN: 2317-0476
r.diversidadereligiosa@gmail.com