Um movimento de mulheres no enfrentamento à violência de gênero em comunidades cristãs

Vinicius Oliveira Seabra Guimarães

Resumo


O artigo propõe reforçar a luta das mulheres em desvelar a violência simbólica, e a violência propriamente dita, em que estão e são submetidas em igrejas e comunidades cristãs no Brasil. O texto se delimita a partir das informações e relatos disponíveis no site do Projeto Redomas, concentrando a análise na cartilha: “Não é falta de oração – cartilha de combate à violência contra mulher em igrejas e comunidades cristãs”. A escolha em focar neste projeto específico se deu por ser uma atual plataforma social de discussão sobre a temática das violências de gênero nas igrejas. O referencial teórico-metodológico utilizado se centraliza em Pierre Bourdieu, por compreender que a sociedade moderna está em constante conflito para classificar, desclassificar e reclassificar os padrões sociais, legitimando habitus e fortalecendo uma cultura dominante, na qual as mulheres são discriminadas e marginalizadas. A conclusão que se chega é que a violência de gênero, especificamente no caso das mulheres, praticada no contexto religioso cristão brasileiro, é um campo de discussão fortemente petrificado por uma visão masculinizada da fé, o que coloca tais discussões sobre gênero na zona dos tabus quase que intransponíveis. Contudo, é possível criar nas comunidades cristãs espaços de conscientização, acolhimento às vítimas e combate à violência de gênero.

Palavras-chave


Movimentos sociais; Mulher; Comunidades cristãs.

Texto completo:

PDF




ISSN: 2317-0476
r.diversidadereligiosa@gmail.com