O periférico nu: as fotografias homoeróticas masculinas de Alair Gomes e Rotimi Fani-Kayode

Autores

  • Diego Santos Vieira de Jesus ESPM-Rio

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2019v27n1.39963

Resumo

O objetivo é examinar as semelhanças e as diferenças entre as obras de Alair Gomes e Rotimi Fani-Kayode. O argumento central aponta que ambos procuraram explorar o potencial subversivo do homoerotismo ao trazerem à tona a existência de espaços e tempos dissidentes que desestabilizam normas repulsivas à sociabilidade homoerótica. Gomes revela espaços subversivos em que o desejo pelo corpo masculino seminu e nu e o prazer do voyeur poderiam ser instigados, desenvolvendo narrativas que captavam a espontaneidade e a sensualidade do momento. Já Fani-Kayode ressaltava o deslocamento espacial e cultural e as múltiplas temporalidades que conviviam no mesmo ambiente, questionando hierarquias a partir da fantasia espiritual e homoerótica e da exaltação da diferença cultural e sexual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Santos Vieira de Jesus, ESPM-Rio

Doutor em Relações Internacionais pela PUC-Rio e docente e pesquisador do Programa de Mestrado Profissional em Gestão da Economia Criativa da ESPM-Rio

Downloads

Publicado

2019-07-11

Como Citar

SANTOS VIEIRA DE JESUS, D. O periférico nu: as fotografias homoeróticas masculinas de Alair Gomes e Rotimi Fani-Kayode. Revista Ártemis, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 322–337, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2019v27n1.39963. Disponível em: https://www.periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/view/39963. Acesso em: 12 jul. 2024.