FRANCISCA CLOTILDE, MARIA FIRMINA DOS REIS E HENRIQUETA GALENO

ESCRITORAS E DOCENTES NORDESTINAS OSTRACIZADAS PELO PATRIARCADO ASFIXIANTE DOS SÉCULOS XIX E XX

Autores

Palavras-chave:

Literatura e Feminismo, Intelectuais Nordestinas Silenciadas, Escritoras e Professoras dos Séculos XIX e XX e o Patriarcado, Literatura Feminina do Nordeste

Resumo

Francisca Clotilde, Maria Firmina dos Reis e Henriqueta Galeno foram intelectuais nordestinas que se dedicaram ao Magistério e à Literatura nos séculos XIX e XX, quando tanto foram recebidas com aplausos entusiasmados como com apupos desconcertantes. Em um momento no qual as mulheres burguesas não trabalhavam fora do lar, elas, espelhando tantas outras iguais a si, foram desbravadoras e receberam, como pagamento por sua ousadia, uma premiação ambígua: reconhecimento de suas grandezas e silenciamento de suas pessoas, com o subsequente apagamento de seus feitos – o memoricídio que Constância Lima Duarte tanto ressalta. Neste artigo de abordagem qualitativa, uma pesquisa básica que objetiva explorar o tema para posteriores aprofundamentos, apresentamos estas três mulheres – suas vidas e seus legados – para, a seguir, debater sobre o cenário intelectual da época e dos lugares onde elas atuaram, tendo como amparo teórico para isso, pesquisas como as de Duarte (2018; 2017; 2009; 1997), Mendes (2023) e Sá (2018). Concluímos que estudá-las e trazê-las para mais perto de nós nunca foi tão necessário – especialmente agora, após um período de obscurantismo e retrocesso em nível nacional em todos os âmbitos, quando o trio MULHERES-NORDESTE-CULTURA foi alvo de ferozes ataques misóginos, racistas e memoricidas por quatro insuportáveis anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yls Rabelo Câmara, Universidad de Santiago de Compostela

Yls Rabelo Câmara, brasileira e espanhola, tem estágio pós-doutoral em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (Uece) e é Doutora e Mestra em Filología Inglesa (Letras – Língua Inglesa) pela Universidad de Santiago de Compostela, na Galiza, Espanha. É Especialista em Ensino de Espanhol – Língua Estrangeira pela Uniateneu e Especialista em Ensino de Línguas Estrangeiras – Inglês pela Uece. Tem Licenciatura Plena em Letras Português-Inglês pela Uece e atualmente é Licencianda de Letras Espanhol, Pedagogia e História pelo Centro Educacional Estácio do Ceará. É professora de idiomas há trinta e quatro anos. Dedica-se à investigação e publicação acadêmicas de trabalhos sobre os costumes, as literaturas, as mitologias, as tradições, as crenças e os folclores dos povos de fala portuguesa, inglesa e espanhola – em especial, as rezadeiras e os profetas da chuva –, e debruça-se sobre a Literatura Produzida por Mulheres, com lauta produção nessa seara. É a idealizadora, a Orientadora e a Líder do Grupo de Estudos Filhas de Avalon, que conta com participantes em oito países (Brasil, Espanha, França, Portugal, Holanda, País de Gales, Colômbia e Egito) e investiga escritoras nacionais e internacionais, pretéritas e atuais – especialmente as silenciadas e apagadas pelos cânones literários. Neste momento, a Dra. Yls Rabelo Câmara inicia sua carreira como biógrafa.

Downloads

Publicado

2024-03-08

Como Citar

Rabelo Câmara, Y. . (2024). FRANCISCA CLOTILDE, MARIA FIRMINA DOS REIS E HENRIQUETA GALENO: ESCRITORAS E DOCENTES NORDESTINAS OSTRACIZADAS PELO PATRIARCADO ASFIXIANTE DOS SÉCULOS XIX E XX. Revista LiteralMENTE, 4(Especial), 8–32. Recuperado de https://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rl/article/view/69128

Edição

Seção

DOSSIÊ “ESCRITORAS NORDESTINAS OFUSCADAS PELO CÂNONE LITERÁRIO BRASILEIRO"